sábado, 3 de abril de 2010

Tecnologia rompe limites de livros e lousas.


Um corpo humano, semidissecado, flutua na lousa em cores vivas. Com um toque de dedo, o professor, atento à reação dos alunos, abre a cavidade torácica e expõe o coração, que bate com vigor. O som das batidas estremece a sala. Vários olhinhos atentos acompanham o fluxo de sangue pelo corpo até chegar ao cérebro.

O que parece um conto de ficção científica dos anos 1950 digno de Isaac Asimov nada mais é do que a realidade do ensino em algumas escolas hoje. A aula descrita acima acontece regularmente no Colégio São Luís, tradicional escola católica de São Paulo. (...)

Em Joinville, (foto acima) os alunos da escola municipal CAIC Mariano Costa soltam o verbo e registram tudo no PC, fazendo um podcast sobre o que rola no colégio e no mundo. A professora, em vez de reprimir, conduz o processo, ensinando os alunos a operar softwares de áudio e garantindo a cooperação entre eles. Nenhuma palavra é dita ao acaso, tudo segue um cuidadoso projeto pedagógico.

A sacada hoje é aplicar o poder da tecnologia para amplificar a experiência de ensino. Em vez de dar aulas de Word, os professores estimulam a redação criativa dos alunos. As coisas estão bem diferentes do que eram no final dos anos 80, quando as aulas de informática começaram a ser introduzidas nas escolas. (...) A idéia, no começo do boom da informática no Brasil, era ensinar os alunos a usar o computador e suas ferramentas básicas. Hoje em dia, esse conceito se tornou obsoleto. (...)

O grande barato da nova escola é usar o computador como ferramenta de apoio ao aprendizado, sempre em sincronia com o projeto pedagógico da escola.

A tecnologia tem o seu papel se tiver propósito, especialmente se romper os limites dos livros, lousas e cadernos.

Agora usamos o PC como ferramenta de reforço e desenvolvimento, que estimula o raciocínio e habilidades para a vida”, afirma a educadora Regina Simões, responsável pelo Colégio Santa Maria. (...)

A internet também pode ser uma poderosa aliada no processo de aprendizado. Além de permitir o acesso instantâneo a uma infinidade de informações, a rede mundial também propicia a integração de alunos e professores de várias escolas do mundo.

A web não serve só para pesquisa, permite que os alunos publiquem seus trabalhos e repliquem o conhecimento, comunicando-se entre si”, diz a pesquisadora Silvia Fichmann, do Laboratório de Investigação de Novos Cenários de Aprendizagem da Escola do Futuro na USP. “Os professores ainda têm que melhorar. Eles devem saber orientar melhor os alunos sobre onde existe informação boa ou ruim na rede”, completa.

Leia matéria completa no Caderno Link do Jornal "O Estado de São Paulo"

4 comentários:

Rafael disse...

Olá, Jaqueline,

Muito obrigado pelos elogios, agradecemos mesmo. Dei uma olhada em seu blog e o achei muito interessante. Gostei de vários artigos. Espero ler os outros em breve.

Um abraço e boa sorte com suas 4 disciplinas restantes!

jessica disse...

Boa tarde, Jaqueline. Meu nome é Jéssica e sou estudante assim como você do curso de Pedagogia só que na Pucrs.
Achei esse blog bem interessante. Esse tema é ótimo para ser levado para sala de aula e ser discutido com nossos alunos.Gostaria de saber, quais foram os teus meios para que pudesse criar esse blog? E em algum momento, pensaste em exclui-lo?
Obrigada.
Jéssica.

Anônimo disse...

Gabriela Neves - Estudante de Pedagogia, PUCRS.

“As tecnologias invadem o nosso cotidiano”. Essa é uma das frases mais utilizadas hoje em dia para refletir aos equipamentos com as quais lidamos nas atividades rotineiras. Pensadores contemporâneos e a mídia em geral afirmam que vivemos em uma sociedade tecnológica. Essas referências encaminham-se para um pensamento de oposição entre a nossa natureza humana e a “máquina”, esta é uma forma concreta com que a tecnologia é reconhecida.

Silvana disse...

Olá me chamo Silvana,
Acho muito interessante esse novo metodo de ensino eu mesma faço faculdade de ensino a distancia tudo atravéz do computador uma maquina que acabou tomando conta de nossas vidas tanto profisional como pessoal.